Você sabe o que é rotavírus? Todo mundo sempre ouve falar de Rotavírus. Mas será que as mães sabem o que é essa doença e como fazer para cuidar de seus filhotes caso fiquem doentes?
É simples: o Rotavírus é um vírus, com aspecto de roda, que vem sendo o principal agente causador de diarréia em crianças menores de cinco anos em todo o mundo, especialmente em creches ou escolas.
Embora quase todas as crianças sejam infectadas nos primeiros anos de vida, é com crianças de até dois anos que ocorrem os casos mais graves. As crianças prematuras de baixo nível sócio-econômico ou com deficiência imunológica são mais sujeitas a desenvolver um quadro mais grave da doença.
Mas nem mesmo nós adultos estamos livres de contraírmos o vírus. Em qualquer faixa etária o homem pode ser contaminado, inclusive, mais de uma vez, devido à existência de mais de um sorotipo de Rotavírus. No entanto, a primeira vez é a mais grave e os pais devem tomar muito cuidado se seus filhos contraírem o vírus.
Esses vírus são eliminados em alta quantidade nas fezes de crianças infectadas e transmitidos pela via fecal-oral, por água ou alimentos, por contato com as pessoas, por objetos contaminados e principalmente pela via respiratória, ou seja, da mesma forma que um vírus de gripe. É por este motivo que sua incidência aumenta muito nos meses de inverno, juntamente com os casos de gripe. Porém, o Rotavírus, ao contrário dos outros vírus, permanece vivo por mais tempo no ambiente e é mais resistente, portanto sua proliferação é mais fácil.
A infecção por Rotavírus pode ser assintomática, ou seja, causar sintomas no doente, ou não. Em casos de infecção sintomática pode variar de um quadro leve, com diarréia líquida e duração limitada aos quadros graves com desidratação, febre, vômitos e cólicas. Pode ainda haver sintomas respiratórios, como obstrução nasal, coriza discreta, dor de garganta e tosse seca.
O vírus pode passar por quatro etapas. Na primeira, que corresponde à maioria dos casos, a criança é hidratada em casa sem maiores complicações. Depois, pode ser necessário fazer uma consulta ao médico e indicar a hidratação oral (sorinho). No terceiro estágio, a criança precisa passar por uma observação hospitalar no pronto-socorro por cerca de 12 horas. Só quando a virose atinge a última etapa é que a internação hospitalar se faz necessária.
A higiene é fundamental e, em casa, os pais podem tomar algumas providências para evitar a virose: lavar as mãos, pois a mão é um dos principais focos de contágio, controlar a qualidade da água e dos alimentos e destino adequado dos dejetos e do esgoto. Essas medidas são imprescindíveis para a prevenção de quaisquer surtos de diarréia. Um outro aspecto importante e fundamental nas crianças de até seis meses de idade, é quanto ao estímulo do aleitamento materno, que parece ter principal presença pelos níveis de anticorpos contra o Rotavírus, pois fornece à criança defesas contra vírus, bactérias ou protozoários causadores da diarréia.

Saiba mais sobre a vacina do rotavírus
O  recomendado é  duas doses, aos 2 e 4 meses de idade, simultaneamente com as vacinas Tetravalente (DTP/Hib) e Sabin. O intervalo mínimo entre as duas doses é de 4 semanas.

Para esta vacina algumas restrições são recomendadas:
Para a aplicação da 1ªdose:
Deve ser aplicada aos 2 meses de idade
Idade mínima 1 mês e 15 dias de vida (6 semanas)
Idade máxima 3 meses e 7 dias de vida (14 semanas)

Para a aplicação da 2ª dose:

Deve ser aplicada aos 4 meses de idade
Idade mínima 3 meses e 7 dias de vida (14 semanas)
Idade máxima 5 meses e 15 dias de vida (24 semanas)

Deixe um Comentário