Muitos bebês sofrem com o refluxo, mais é importante não confundir refluxo com regurgitação. Se o seu bebê devolve o alimento sem esforço e em pequenas quantidades logo após mamar, ele está regurgitando. Na maioria das vezes é porque ele mamou demais, engoliu ar durante a mamada ou se atrapalhou ao chorar enquanto sugava. A regurgitação não prejudica o desenvolvimento do seu bebê já no refluxo a devolução do leite é mais intensa, e raramente, também pelo nariz.

Veja as principais características:
Na regurgitação, o bebê retorna leite coalhado em pequena quantidade e normalmente após mamar. Se o seu bebê estiver mamando demais ou engolindo porções de ar enquanto suga, também vai regurgitar. Não sentirá desconforto, já no caso do refluxo, o retorno do alimento se dá com mais frequência e com mais volume principalmente, quando a criança está deitada. Depois de  mamar, a criança fica irritada, chora e sente dores abdominais.

O que fazer:
Depois de amamentar o seu filho, coloque-o para arrotar na posição vertical e permaneça assim por 10 minutos. Quando for acomodá-lo no berço ou no carrinho, deixe a cabecinha um pouco mais elevada do que as pernas, nunca com o corpinho totalmente na horizontal, posição que facilita a volta do leite. Respeite sempre a digestão da criança, que deve ser feita com tranquilidade. Evite a troca de fraldas e levá-lo para passear logo em seguida. É importante levar o seu bebê ao pediatra caso houver mais de cinco regurgitações diárias.

1 comentário

  1. Ministério da Saúde em 20/08/2010 às 1:41

    Olá blogueiro,

    Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

    Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

    O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

    A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.

    Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com [email protected]

    Obrigado pela colaboração!

    Ministério da Saúde



Deixe um Comentário