Os pais devem observar o que pode estar provocando o problema. Em alguns casos a alergia pode ser de fundo emocional, o que requer a avaliação de um psicólogo infantil para que a causa real seja tratada. As alergias respiratórias também devem ser levadas em conta e tratadas.

A primeira coisa a fazer é observar se os sintomas da alergia coincidem com a ingestão de algum alimento ou medicamento, contato com determinado tipo de roupa ou com algumas substâncias, locais ou atividades e animais. Uma vez identificado o elemento que desencadeia a alergia, deve-se evitar o contato e procurar uma orientação médica. Não é necessário afastar a criança de todo e qualquer possível agente causador de alergia, tirando assim a sua liberdade de brincar e ter uma vida normal, porém é preciso ter alguns cuidados.

Separamos algumas dicas que ajudam a prevenir as alergias.
-Abrir a casa para que ela permaneça seca, bem ventilada e, de preferência, ensolarada.
– Dormitório simples e organizado para facilitar a limpeza e evitar acumulo de pó e ácaros.
– Retirar do dormitório objetos constituídos de pêlos ou penas (almofadas, acolchoados, tapetes, cortinas, casacos e bichos de pelúcia.
– Remover objetos de cima do guarda-roupa ou outros móveis, que prejudicam a limpeza periódica.
– Não varrer a seco. Usar um pano de lã na vassoura e depois pano úmido no assoalho e remover o pó dos móveis com pano úmido ou óleo de móveis, para que o pó não se dissipe no ar.
– Deixar a criança fora do quarto até uma hora após a limpeza.
– Evitar umidade, mofo e exposição à chuva. Na casa onde há bolor, passar uma solução de ácido fênico a 5% nos lugares mofados, como por exemplo: dentro do guarda-roupa e parede. Usar uma bomba de flit nova.
– Evitar contato com inseticidas, fumaça de cigarro, contato com aves, cães, gatos, cavalos, brinquedos felpudos, talcos, perfumes e cheiros irritantes.
– Não permanecer em locais empoeirados.
– Evitar contato com objetos guardados e velhos, caso contenham pó.
– Usar agasalhos comuns, sem exagero.
– Evitar lugares úmidos e frios.
– Evitar, tanto quanto possível, causas que perturbem o sistema nervoso (emoções, aborrecimentos, contrariedades, etc.).
– Praticar natação, quando passar bem; encorajar atividades ao ar livre e jogos esportivos.
– Fazer ginástica respiratória todas as manhãs e noites.
– Se possível, morar em locais secos e quentes ou à beira-mar.

1 comentário

  1. alessandra em 30/06/2010 às 11:29

    vou usar isso para meu marido, rs, parabens pelas dicas



Deixe um Comentário