Durante o verão, o cuidado com as crianças menores deve ser redobrado. Elas estão mais propícias a ter distúrbios líquidos, por fazerem as trocas líquidas com o ambiente com maior freqüência, já que têm maior proporção de água que adultos.

Para evitar a desidratação, siga algumas recomendações:

• Evite expô-las por tempo prolongado ao sol, especialmente nas horas mais quentes. Os bebês estão sujeitos a queimaduras solares, mesmo protegidos sob barracas.

• Ofereça-lhes líquidos com freqüência, para compensar as perdas excessivas.

• Não permita que recebam alimentos sólidos ou líquidos de procedência duvidosa, sem controle sanitário, como raspadinhas, refrescos, doces, salgadinhos, sanduíches e outros alimentos não industrializados.

Alimentos inadequados ou contaminados podem levar a criança a apresentar evacuações líquidas, que podem ser acompanhadas de vômitos, febre e cólicas. A perda exagerada de líquido conduz à desidratação, que é caracterizada não pelo número de vezes, mas sim pelo volume de líquido perdido em cada evacuação.

A orientação é evitar a auto-medicaçâo. A medida fundamental é suspender a alimentação e oferecer líquidos reidratantes. O mais indicado é usar soro caseiro e, se os sintomas persistirem, procurar assistência médica.

Sintomas:

Um dos principais sintomas da desidratação é a diarréia, que tem como agente causador principal o rotavírus. A diarréia é considerada uma doença grave para crianças menores de cinco anos, porque elas ficam rapidamente desidratadas e podem morrer se não forem tratadas a tempo.

O vômito, um refluxo oral do conteúdo digestivo, é outro sintoma da desidratação. “Se a criança tiver dificuldades para urinar, mais de 10 vômitos e febre alta, ela está apresentando o quadro de desidratação”.

Como tratar:

Uma das alternativas para a reposição de energia ao organismo da criança que sofre de desidratação é a administração de água e soro. A água deve ser administrada de forma a suprir a necessidade diária e resgatar o desfalque sofrido.
Outra alternativa é a ingestão do soro caseiro que é feito de acordo com a receita abaixo.

Como Fazer Soro Caseiro?

O soro caseiro é uma solução prática e econômica para se evitar a desidratação, veja como é fácil fazer:

Diluir em 01 (um) copo dágua filtrada e fervida 01 (uma) pitada de sal e 03 (três) pitadas de açúcar, misture bem.

Ofereça a criança à vontade cada 20 minutos e após cada evacuação líquida se houver diarréia.

Se os sintomas não cederem procure orientação médica.

Deixe um Comentário