É amiga quando chega o momento final da vida a dois não é fácil, não é mesmo, porém  nem tudo está perdido, caso você esteja passando por essa situação lembre-se de que a vingança não vale a pena!  aqui vai algumas dicas para você não cair nessa armadilha!

Mesmo o parceiro que tomou a iniciativa fará de tudo para saber como o abandonado está passando. Esse interesse raras vezes resulta de uma genuí­na solidariedade.
Por um lado, ver o sofrimento de uma pessoa tão íntima nos deixa tristes; por outro, satisfaz a vaidade. Num certo sentido, é gratificante saber que o ex-companheiro vive mal longe de nós e teve prejuízos com a separação. Esse aspecto menos nobre da personalidade humana, infelizmente, cos­tuma predominar.
Se o outro está se recuperando com rapi­dez, se busca novas companhias, mostran­do-se à vontade na condição de descasado, ficamos surpresas e deprimidas. Percebemos que não somos tão indispensáveis quanto pensávamos. Nosso orgulho, então, é atingido, pois precisamos nos sentir importantes, precisamos saber que nossa ausência provoca dor.
Se o outro estiver feliz, duvidamos de nós mesmas e isso é desgastante. “Como é possível que ele se ajeite na vida mais rapidamente do que eu?”, perguntamos a nós mesmas, e a certeza de que seme­lhante absurdo aconteceu nos deixa tristes, com raiva, ódio e depressiva.
Muitas mulheres confundem essa tristeza com amor. Será que ainda estamos apaixonados? Será que a separação foi precipitada? Pode até ser. Mas o ingredi­ente principal de nossas emoções é a vaidade, o orgulho ferido. Às vezes, procu­ramos disfarçar esse sentimento menos nobre, escondendo-o por trás de uma ines­perada dor de amor. É uma forma de negar pensamentos que não gostaríamos de ter.
Logicamente o processo é mais acentua­do, pelo menos no início, quando não tomamos a iniciativa da separação. Nesse caso, a “sede de vingança” costuma ser explícita. Torcemos para que ele só tenha relações afetivas desastrosas, desejamos que a outra seja horrorosa, gorda, burra, que tenha todos os defeitos do mundo não é mesmo!. E por fim desejamos até mesmo o seu fracasso profis­sional.
O objetivo dessa atitude é tentar resgatar a auto-estima. O fato de tudo dar errado para o ex-parceiro será a prova definitiva da influência positiva que exercíamos em sua vida . Sua felicidade, ao contrário, nos diminuirá, nos deixando com um sentimento de inferioridade. É como se, a partir da sepa­ração, fosse necessário encontrar o culpa­do pelo fracasso do relacionamento.
No entanto, esse processo de com­paração também é forte naqueles que decidiram se separar porque se apai­xonaram por outra pessoa. Aí, entra em jogo outro tipo de vingança.
Se alguém se sentiu, ao longo dos anos em comum, agredido, humilhado, rejeitado, agora é o momento de inverter a situação e sem ne­nhum esforço: apenas esperando que o destino faça justiça e o opressor se trans­forme em oprimido.
Não adianta pensar que nunca teremos pensamentos tão mesquinhos. Todos nós, em certas circunstâncias, estamos sujeitos a emoções que consideramos negativas e indignas.
Esses sentimentos acabam se misturando, e aí vira um verdadeiro tormento, amor, orgulho ferido, auto-estima em baixa e um súbito desejo de vingança…
Não basta ser feliz; é preciso que o outro não o seja, certo?!  ERRADO!
Mais será que vale mesmo a pena se vingar do ex companheiro só para satisfazer nosso ego, pense bem porque na maioria das vezes só quem sofre somos nós mesmas e sofremos dobrado, sofremos porque acabou a relação, sofremos por termos nos vingado da pessoa que um dia juramos amor eterno, ou seja é só sofrimento, agora se você olhar para si mesma e der a volta por cima, em vez de tristeza você sentirá um grande sentimento de paz interior, e ai tudo melhora.
Em vez de chorar sorria, em vez de sofrer seja feliz. Arrume um trabalho que a faça se sentir útil, valorize-se. Comece a praticar algum tipo de exercício físico, não gosta de academias, faça caminhadas ao acordar, saia com as amigas, leia um bom livro, volte a estudar, mude o visual, e por fim, por que não?! arrume um novo amor!!!
Recomece uma nova vida, sozinha ou com alguém!, não importa. O importante mesmo é ser feliz .

Boa sorte!!!

Deixe um Comentário